As apostas da Copergás

06/08/2015

Frente à conjuntura econômica atual, poucas empresas têm mantido seus planos de investimento sem mudanças de percurso. As perspectivas de faturamento menor e as dificuldades para firmar novas operações de crédito, sobretudo por conta dos juros altos, encabeçam a lista de justificativas de retração apontadas por executivos e empresários. Mas há setores que caminham mais alheios à crise. Um deles é explorado pela Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), que deve encerrar o ano com faturamento de R$ 1,050 bilhão. A empresa de capital misto, hoje a sexta do mercado brasileiro no seu segmento, planeja fechar o exercício com uma carteira de investimentos de R$ 60 milhões em recursos próprios. Paralelamente, negocia com o Banco do Nordeste duas operações de crédito, que juntas representam R$ 74 milhões em dinheiro novo. Presidente da Copergás há pouco tempo, Décio Padilha diz que o destino do montante é certo. A empresa que tem a Gaspetro e a Mitsui entre seus acionistas aposta na interiorização da rede de distribuição para atender indústrias, principalmente no Agreste, e mais investimento no mercado residencial. Ao contrário do Rio de Janeiro, por exemplo, onde há 600 mil consumidores de gás natural canalizado vivendo em casas e apartamentos, no Grande Recife essa carteira é de 18 mil. A clientela que não está nas fábricas ou não dirige um carro convertido para GNV representa menos de 1% do faturamento da Copergás. É irrisório. No entanto, a companhia já tem licença para explorar bairros da Zona Norte que são alvo do mercado imobiliário, como Espinheiro, Parnamirim, Jaqueira e Casa Forte. Entre os motivos para apostar na aceitação deste consumidor, estão “a segurança do gás natural frente ao GLP e o preço até 40% mais barato”, diz Padilha, que já articula reuniões com Ademi, Sinduscon e Secovi. Numa cidade que já foi apontada como a 19ª mais verticalizada do planeta pelo fórum de internet SkycraperCity, de fato há um nicho e tanto a ser explorado.

Fonte: Diario de Pernambuco-Economia-Diario Econômico