Companhia projeta crescimento

27/12/2012

     Dois mil e treze nem começou ainda, mas a Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) já vislumbra os números que pretende atingir no ano que está por vir. Ontem, o presidente Aldo Guedes projetou as cifras, levando em consideração os bons resultados de 2012, quando atingiu o faturamento de R$ 640 milhões, um acréscimo de 8% em relação a 2011. Para 2013, a expectativa é ousada: crescer 17,5%, ou seja, encerrar o próximo ano com uma receita bruta de R$ 752 milhões.

     Para isso, serão investidos R$ 39 milhões na manutenção e ampliação da rede. “Este valor é mais que o dobro da média histórica anual da companhia”, reforçou Aldo Guedes. Deste total, R$ 23 milhões serão destinados apenas ao Ramal Norte, onde estão instalados seus clientes potenciais (Polo Farmacoquímico, Fiat, Companhia Brasileira de Vidros Planos, Ambev, Nissin e Itaipava). “Vamos duplicar esta rede porque a demanda chegará a um milhão de metros cúbicos por dia (m³/dia) nos próximos quatro ou cinco anos”, afirmou. O Ramal Suape, que atende a PetroquímicaSuape, receberá R$ 3 milhões, e o projeto de interiorização de Caruaru, R$ 4 milhões. Os R$ 9 milhões restantes serão investidos na rede residencial, cuja estimativa é aumentar a cartela de clientes, hoje em dez mil, em 40%. O setor representa 0,23% do volume médio comercializado pela Copergás em 2012, que foi de 1,042 milhão de m³/dia.

     “Nosso crescimento vai de acordo com o mercado, visto que dependemos dos investimentos que estão chegando ao Estado para ampliarmos a rede”, disse Aldo Guedes. De acordo com ele, o setor industrial consome mais de 100 mil m³/dia, enquanto o residencial, por exemplo, tem uma média de consumo de apenas oito m³/dia. Dessa forma, apesar de a companhia só ter 95 clientes na fatia de mercado industrial, esse segmento é responsável por 76,49% do volume médio comercializado.

Fonte: Folha de Pernambuco – Economia – 27/12/2012