Conversão para GNV em Pernambuco tem maior número em 15 anos

08/07/2021

O total de carros convertidos para uso do GNV em Pernambuco disparou no último mês de maio, atingindo o número recorde de 1.140 – a maior marca mensal dos últimos 15 anos. A expectativa do setor é que a tendência de crescimento se mantenha em junho. O combustível é fornecido no Estado pela Companhia Pernambucana de Gás – Copergás. A frota de veículos com gás veicular em Pernambuco chegou a 71.525. Os dados são do Detran-PE.

Há dois fatores locais que favorecem a expansão do GNV no Estado. O primeiro é o preço. Segundo levantamento de 1º/07 da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o Recife é a capital do Nordeste que pratica o menor preço médio da região: R$ 3,599 por m³. Em Pernambuco, o setor é beneficiado por lei estadual de 2015, que reduziu para 12% o ICMS sobre o GNV (a alíquota é maior na maioria dos Estados).

O segundo fator é que, desde março passado, a primeira vistoria no Detran-PE para a instalação do kit gás foi agilizada e agora é realizada em, no máximo, 72h. O prazo anterior era de até 20 dias. O agendamento é feito no site da instituição. A medida tornou-se possível após entendimento entre a Copergás e o Detran-PE. A agilização era uma antiga reivindicação do Sindicombustíveis-PE, das oficinas credenciadas para a conversão dos veículos e de taxistas e motoristas de aplicativo.

Há também um fator nacional alavancando a corrida para o GNV: os seguidos aumentos dos demais combustíveis no primeiro semestre de 2021, sobretudo da gasolina. “A adesão ao GNV é uma medida que sempre aparece no radar das pessoas, tanto pela despesa com o combustível no dia a dia, quanto pelo que ele tem de vantagem na redução de poluentes no meio ambiente. Com esse movimento de aumento de preços de gasolina e demais combustíveis, a conversão para o gás natural se torna ainda mais atrativa, principalmente em Pernambuco, onde a Copergás oferece o menor preço do mercado do Nordeste e tem um plano de expansão na rede de postos de abastecimento”, destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Geraldo Julio.

“O fato é que o GNV se mantém como a melhor opção entre os combustíveis. Tem preço e rendimento maiores, é seguro, eficiente e menos poluente”, afirmou o presidente da Copergás, André Campos. “E, por determinação do governador Paulo Câmara, estamos trabalhando para garantir aos usuários a oferta do combustível em todo o Estado”, completou.

A rede de postos em Pernambuco que comercializam o gás veicular já conta com 84 unidades. A meta é chegar a 100 até o final do ano – inclusive com a entrada em operação de um posto em Petrolina, no Sertão do São Francisco, como parte do projeto da Companhia de expansão da interiorização do gás natural.