Copergás fornece gás natural para Ambev e mais seis cervejarias

04/02/2021

A cervejaria Navegantes foi a 7ª indústria do setor a tornar-se cliente da Copergás

 

O mercado industrial de cervejas vem se consolidando em Pernambuco, que já conta com uma das maiores variedades de rótulos do país. A Copergás tem participação nesta tendência como fornecedora de sete plantas industriais na Região Metropolitana do Recife.

No último dia 29, a Companhia Pernambucana de Gás fez a interligação da Cervejaria Navegantes, no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, marcando o início do ano com a conquista da 7ª indústria cervejeira como cliente. As outras seis são a Ambev e a Petrópolis, ambas no município de Itapissuma; Brasil Kirin, em Igarassu; Cervejaria Duvália, em Olinda; Ekäut, no Recife, e DeBron, em Jaboatão dos Guararapes. Todas economizam nos gastos com energia com o combustível da Copergás.

De acordo com a Associação Pernambucana de Cervejas Artesanais – Apecerva, cerca de 26 rótulos (marcas) são produzidos em Pernambuco. Das sete cervejarias atendidas pela Copergás, quatro são artesanais: Navegantes, Duvália, Ekäut e DeBron. A produção delas é de 40 a 60 mil litros por mês, contribuindo para a metade da variedade do segmento no Estado, que no conjunto emprega cerca de 300 pessoas diretamente e duas mil indiretamente.

Já dentre as marcas de grande porte, o gás natural auxilia na produção da Heineken, da Brasil Kirin; Itaipava e Petra, da Petrópolis, e Antártica e Brahma, produzidas na Ambev. Atualmente, a Heineken e a Ambev competem pela liderança do Norte-Nordeste em vendas.

Em dezembro passado, a Ambev anunciou um investimento de cerca de R$ 255 milhões em sua fábrica para expandir sua capacidade de produção em Pernambuco. Com a parceria com a Copergás, o grupo cervejeiro deve alcançar a capacidade de 120 mil unidades por hora, dentre os rótulos Stella Artois, Skol Puro Malte, Bohemia, Brahma Extra e Brahma Duplo Malte.

O gás natural é utilizado pelas cervejarias na etapa de fervura, quando o lúpulo é adicionado para dar sabor à bebida. O combustível é ligado diretamente na caldeira para gerar vapor, que aquece a mistura.