Copergás investirá R$ 39 milhões

27/12/2012

     A Companhia Pernambucana de Gás Natural (Copergás) passou longe da crise em 2012. A empresa controlada pelo governo do Estado, Petrobras e Mitsui vai fechar o ano com recorde de receita, faturamento e comercialização. Para 2013, a projeção é ampliar as vendas em 17% e fazer investimento de R$ 39 milhões (o dobro da média histórica anual da companhia). No mercado residencial, a aposta é crescer 40% no próximo ano, com atenção para os bairros recifenses de Casa Forte, Madalena e Espinheiro.

     O presidente da Copergás, Aldo Guedes, diz que a companhia acompanha a pujança do Estado. O plano de investimentos para os próximos cinco anos está alinhado aos novos polos de desenvolvimento. “Até 2017, a projeção é que a demanda de gás natural no Litoral Norte alcance 1 milhão de metros cúbicos por dia, em função de grandes empreendimentos como a montadora da Fiat e seus sistemistas, Companhia Industrial de Vidros Planos (CBVP), AmBev, Itaipava, Nissin e o polo farmacoquímico”, diz. Hoje, a média de comercialização da Copergás é de 1,042 milhão de m³/dia. A demanda da nova região exige a necessidade de pelo menos dobrar a oferta.

     Para atender a região, a Copergás está investindo R$ 60 milhões na expansão da rede de gasoduto entre Paulista e Goiana. As obras dos 40 quilômetros de gasodutos começaram este ano e deverão ser concluídas até junho de 2013. Entre 2011 e 2012, a rede cresceu 26%, passando de 436 para 550 quilômetros. Para 2013, a estimativa é de uma expansão de 12,7%, atingindo 620 quilômetros de gasodutos.

     O próximo ano também será de investimento recorde para a Copergás. O plano é fazer um aporte de R$ 39 milhões. O investimento será equivalente ao dobro da média histórica anual da companhia. Nos últimos anos, a empresa vem cravando recordes de faturamento e receita. Para este ano, a estimativa é fechar o faturamento em R$ 640 milhões, superando os R$ 593 milhões de 2011. A expectativa para 2013 é chegar a R$ 750 milhões, com o aumento da venda de gás para grandes empreendimentos, a exemplo da PetroquímicaSuape, no Complexo de Suape. A receita subiu de R$ 32 milhões para R$ 35 milhões entre 2011 e 2102.

     O setor industrial é o principal cliente da Copergás, com 76,49% de participação, seguido pelo automotivo (14,73%), Gás Natural Comprimido/GNC (4,10%) e cogeração, residencial e comercial (4,68%). “Um dos nossos desafios para os próximos anos é aumentar a participação do segmento residencial. Este ano comemoramos a marca de 10 mil residências e esperamos crescer essa base em 40% no próximo ano”, diz Guedes. Hoje, a venda residencial está concentrada em Boa Viagem, Pina, Ilha do Leite, Paiva e Jaboatão dos Guararapes.

Fonte: Jornal do Commercio – Economia – 27/12/2012