Copergás vai distribuir gás natural em Gravatá

29/08/2008

A Companhia Pernambucana de Gás Natural (Copergás) começa a distribuir gás natural em Gravatá a partir de segunda-feira, com a conclusão do trecho do Gasoduto Recife-Caruaru no município. Com a chegada da tubulação serão instalados quatro postos de comercialização de gás natural veicular (GNV) na região, sendo dois na cidade de Pombos e dois em Gravatá. A obra, que custou R$ 116 milhões, deverá ser concluída até novembro com a instalação das tubulações em Caruaru.

O presidente da Copergás, Aldo Guedes, diz que já está previsto um consumo de 13,1 mil metros cúbicos por dia para Gravatá. “Além dos postos de GNV, também fechamos contrato com a fabricante de pipocas Nordical e estamos concluindo um ramal interno no município para atender aos polos industriais e de comércio”, destaca. O executivo ressalta, ainda, que a tubulação do gasoduto tem diâmetro de 12 polegadas. Essa dimensão – alinhada com o sistema Petrobras – vai permitir uma interligação com o gasoduto Nordestão, que se estende de Alagoas ao Rio Grande do Norte. “Isso vai garantir uma capacidade de distribuição de 1 milhão de metros cúbicos por dia”, comemora.

O Gasoduto Recife-Caruaru tem extensão de 126 quilômetros. O trecho Vitória de Santo Antão-Gravatá, que acaba de ser concluído tem 26 quilômetros. “No trecho Gravatá-Caruaru faltam apenas 5,8 quilômetros para conclusão, mas se trata da área mais crítica, em função da existência de pedras ao longo do percurso”, esclarece Aldo.

Em Caruaru, a Copergás já conta com três clientes industriais (Vitamassa, Lusarte e Alnor), que vão consumir 13 mil m³ de gás natural por dia. O município também será a base para a distribuição de gás natural no interior. O presidente da companhia adianta que no próximo dia 18 será lançada a pedra fundamental da central de distribuição da Copergás, com direito a evento com presença do governador Eduardo Campos. A unidade terá disponibilidade de 50 mil m³ de gás por dia, com possibilidade de atender a municípios do interior por meio de carretas que transportam gás natural comprimido (GNC). “A partir dela, poderemos atender cidades como Belo Jardim, Arcoverde e Garanhuns”, exemplifica.

A previsão é que a central entre em operação a partir de janeiro de 2010. A unidade vai receber investimento de R$ 1,5 milhão. O presidente da Copergás diz que outro projeto em estudo para ampliar a oferta de gás no interior é oferecer uma tarifa menor nas cidades onde não passam tubulações de gasodutos. “Vamos levar essa proposta para a diretoria de gás e energia da Petrobras, como uma alternativa não só para Pernambuco, mas para o País”, sugere Aldo Guedes.

Fonte: Jornal do Commercio / Economia