Desconto para o GNV

09/04/2013

Gás natural veicular deve ficar 5% mais barato a partir de 1º de maio. Alepe ainda analisará o projeto

Usuários de gás natural veicular (GNV) receberão, a partir de 1º de maio, desconto de R$ 0,19 por metro cúbico, resultantes da renúncia fiscal do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) pelo governo do estado. A estimativa é a de que sejam beneficiados, de imediato, 42 mil motoristas. O projeto, ainda a ser submetido à aprovação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), foi assinado ontem pelo governador Eduardo Campos. A medida conta com o apoio do Sindicato dos Taxistas de Pernambuco (Sindtaxi-PE) e do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindcombustíveis). 

O preço médio do metro cúbico de GNV na Região Metropolitana do Recife está em R$ 1,86. Com a redução de 5%, o valor cai para R$ 1,67. Um carro popular, de motor 1.4, desenvolve cerca de nove quilômetros por metro cúbico, resultando em um desconto de R$ 2,10 a cada 100 quilômetros rodados. Aos taxistas, que percorrem de 150 a 180 quilômetros por dia, a economia poderá chegar a R$ 95 por mês, contando-se 25 dias de trabalho. 

“Cerca de 60% da frota já utilizam o combustível. A isenção do imposto é um presente para a nossa categoria e com certeza será refletido na qualidade do atendimento”, destacou o presidente do Sindtaxi, Everaldo Menezes. Para o líder regional do Sindcombustíveis, Fernando Cavalcanti, a iniciativa promoverá o uso do gás por motoristas. “Acreditamos que existe uma grande demanda a ser conquistada”, ressaltou. 

Outro aspecto reforçado pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Márcio Stefanni Monteiro, é o incentivo a oficinas que instalam o kit, gerando empregos e renda. “Medidas como esta agitam o comércio e a indústria, e o estado fica mais competitivo em nível nacional.” Apenas nove empresas realizam a conversão de veículos para gás, número que já foi o dobro há cerca de uma década e que deve ser recuperado. O abastecimento é feito em 76 postos, da capital ao interior.

Para o governador Eduardo Campos, a estratégia é privilegiar modais menos poluentes, já que o GNV é um combustível mais limpo do que a gasolina e o etanol. “O estado deixará de arrecadar R$ 12 milhões por ano, mas isso não afetará o equilíbrio fiscal, pois está previsto no orçamento”, acrescentou.

Fonte: Diario de Pernambuco on line – Economia – 09/04/2013