PE: Preço do GNV diminui R$ 0,20 para consumidor

02/05/2013

A medida é fruto da Lei 1364/2013, que concede isenção dos 5% referentes à alíquota estadual do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidentes no produto. No Estado, 73 postos oferecem o GNV, que é fornecido pela Companhia Pernambucana de Gás (Copergás).

Atualmente, o volume de venda da Copergás é de 170 mil m³ por dia. “Imaginamos que podemos ter pelo menos um incremento de 15% a 20% nas vendas para esse segmento”, prevê o diretor-técnico Comercial da Copergás, Jailson Galvão. O acréscimo no consumo também está ligado à perspectiva de aumento em 1,5% da frota de carros que utilizam o gás, hoje correspondente a 41 mil veículos. “Nossa meta é chegar aos índices antigos de 5%, que foram reduzidos a 3,5% devido ao preço não competitivo do GNV”, comentou.

Por causa da lei, a renúncia anual aos cofres públicos do Estado está estimada em R$ 12 milhões. O valor, no entanto, poderá retornar ao caixa por outros meios, como o comércio. “É um ciclo virtuoso: aumenta o consumo, a oferta, gera mais empregos, além de ser economicamente atrativo e ambientalmente correto”, defendeu o diretor-técnico da Copergás.

Como em Pernambuco não há produção de GNV, o gás veicular comercializado é oriundo do Rio Grande do Norte, Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro, que abocanham os 12% restantes do ICMS incidentes no combustível. “O GNV chega através de tubulação da Petrobras”, explicou Galvão.

A instalação do kit gás tem um custo estimado em R$ 2,5 mil e a Copergás garante um subsídio de R$ 500 para os motoristas que quiserem instalar o cilindro. “O consumidor que percorre cerca de 100 quilômetros por dia, retira esse investimento em quatro meses”, disse Jailson Galvão. Segundo ele, há uma campanha de estimulo ao uso do GNV, veiculada na mídia impressa, televisiva e radiofônica. O investimento para a publicidade foi de R$ 300 mil.

Fonte: Folha de Pernambuco – Economia – 02/05/2013