Projeto de rede local da Copergás avança em Petrolina

26/11/2020

(Divulgação/Prefeitura de Petrolina)

A interiorização da Companhia Pernambucana de Gás – Copergás, por meio do projeto de rede local, avançou em Petrolina, com a liberação da anuência para as obras por parte da Prefeitura do município. A medida é fundamental para que a empresa obtenha a licença ambiental por parte da CPRH – Agência Estadual de Meio Ambiente. Isso garante as condições para a realização das obras projetadas para 2021, levando o gás natural ao Sertão do São Francisco.

O supervisor de geoprocessamento da GERE Sérgio Guttenberg Cruz esteve em Petrolina para acompanhar os trâmites do projeto e fornecer mais informações que se fizessem necessárias.  Ele encontrou-se com a diretora de Licenciamento Urbano, Virgínia Falcão, que assinou a anuência, e com o secretário de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos, Frederico Melo Machado, a quem fez uma explanação do projeto.

Em seguida, Sérgio esteve com o engenheiro da Compesa Carlos Vieira para informar sobre os detalhes das obras e verificar as eventuais interferências entre as redes de água e esgoto e a futura rede de gás natural. Esse trabalho prévio é fundamental para evitar possíveis acidentes no transcurso da implantação do gasoduto.

A operação completa da rede local é fruto de uma parceria entre a Copergás e a Golar Power, que será a provedora do combustível. O Gás Natural Liquefeito (GNL) – que é o GN em estado líquido – será transportado pela Golar em caminhões-contêineres refrigerados até os municípios a serem atendidos. Líquido, após ser submetido a uma temperatura de 160 graus celsius negativos, o gás natural tem um volume 600 vezes menor, o que viabiliza economicamente seu transporte por grandes distâncias.

Petrolina terá uma estação de regaseificação (de responsabilidade da Golar), uma estação de transferência de custódia e uma rede local de distribuição (de responsabilidade da Copergás). Inicialmente, serão atendidos os clientes Gypsum, Niagro-Nichirei do Brasil Agrícola e Posto Shell – todos localizados no Distrito Industrial do município. Convertido de sua forma líquida para a gasosa (regaseificação), o gás natural passará pelos processos de medição, redução de pressão e odorização.

As obras em Petrolina estão previstas para começar em janeiro de 2021. O projeto prevê duas fases de implantação. A Fase 1 atenderá o Distrito Industrial. Essa etapa terá uma rede com a extensão de 6,2 km, em tubos de Polietileno de Alta Densidade (PEAD), utilizados em todo o mundo sob padronização de regulamentações nacionais e internacionais.

A Fase 2, com 30 km de extensão, ampliará a distribuição do gás natural, chegando à orla de Petrolina – área densamente povoada – além do centro histórico da cidade e, em seguida, também em direção ao Aeroporto Senador Nilo Coelho. Quando concluída, essa nova etapa atenderá clientes comerciais, residenciais, veicular e de novas indústrias.

Trata-se de uma obra arrojada, que levará o gás natural a regiões onde ele ainda não está disponível, com o projeto de rede local – pioneiro nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. “A interiorização do gás natural não é algo restrito apenas ao fornecimento do combustível. Essa interiorização estimula o desenvolvimento sustentável, torna a economia local ainda mais competitiva e cria condições para atrair novos empreendimentos”, disse o diretor-presidente da Copergás, André Campos.