Um alento para o setor de GNV

08/01/2009

Enquanto a Celpe surpreendeu negativamente o consumidor, com um aumento na conta de luz de janeiro, a Companhia Pernambucana de Gás Natural (Copergás) vai protagonizar o setor de boas notícias neste início de ano. Depois de tormentosos 18 meses de aumentos trimestrais consecutivos, o preço do gás natural vai cair no Estado. A Petrobras encaminhou à Copergás um reajuste negativo de 5,27%, que deve ser repassado aos segmentos industrial, residencial, comercial e automotivo, a partir do dia 1º de fevereiro. A redução é resultado da queda na cotação do barril de petróleo – principal balizador do preço do gás.

A boa-nova vai reanimar o setor de gás natural veicular (GNV) em Pernambuco, que assistiu a uma queda de 30% nas vendas do combustível em 2008. No ano passado foram aplicados cinco reajustes no preço do energético, acumulando uma alta de 28,96%. O valor do metro cúbico na bomba começou o ano em R$ 1,599 e encerrou em R$ 1,899. A diretoria do Sindicombustíveis garante que a redução vai chegar no bolso do consumidor, mas defende que a queda no preço poderia ser ainda maior (esperavam cerca de 10%).

Agora, a expectativa é se a Copergás vai solicitar à agência reguladora do Estado o mesmo reajuste negativo de 5,27% ou se vai corrigir sua margem de lucro, repassando um índice menor. De qualquer forma, a notícia traz ânimo aos consumidores pernambucanos. Afinal, é uma verdadeira raridade um anúncio de redução de preços. Ainda mais para o gás natural, que vinha numa escalada frenética. Que venham outros reajustes negativos.

Interiorização

A Copergás continua a empreitada de tentar levar gás natural liquefeito em carretas para o interior do Estado. Já está negociando com a White Martins e amanhã o presidente Aldo Guedes recebe outra empresa interessada no negócio.

Fonte: Jornal do Commercio / Economia / JC Negócios (Fernando Castilho) / 08-01-2009